Estádio do Dragão

Local
Antas, Porto
Cliente
Somague
Data
2000 – 2003

Arquitectura
Manuel Salgado, Jorge Estriga, Carlos Cruz
e Inês Cruz

Área de Construção
132.288 m2
Custo
97.000.000 €

Construido
Fotografias: Luis Ferreira Alves

O Estádio do Dragão é um equipamento de grande importância urbana no redesenho da zona das Antas.

Com capacidade para 50.000 espectadores, é um elemento central e de referência desportivo, lúdico, recreativo e comercial na cidade do Porto.

O Estádio do Dragão faz parte de uma nova geração de estádios de Futebol. Para além de um recinto para a prática de futebol, é uma grande infra-estrutura multifuncional que dispõe de uma clínica, health-center, bingo, escritórios, megastore, museu e loja do clube, restaurante, café, desportos in-doors e foyers polivalentes destinados a conferências, congressos, festas, reuniões, etc. É este modelo, por oposição a um simples estádio de futebol, que torna a infra-estrutura viável do ponto de vista financeiro.

Para reduzir o impacte da sua escala face aos edifícios envolventes, a implantação do Estádio tira partido das particulares condições declivosas do terreno. A alameda, os principais caminhos pedonais, a estação de metro, as paragens de autocarro e as saídas dos parques de estacionamento convergem numa grande praça circular que serve de base à implantação do estádio.

A solução de ‘escavar’ a bancada inferior na praça permite reduzir a cerca de metade a massa aparente do estádio, já que este elemento funciona como uma plataforma encaixada no terreno, a meia cota entre o topo da alameda e a zona baixa no contacto com a VCI (via circular interna do Porto).

As bancadas superiores, que limitam o campo a Nascente e a Poente, estão descoladas da praça e desenhadas como edifícios isolados. Ao abrir as cabeceiras (topos norte e sul) ao nível da praça, permite aberturas com vistas para a cidade e contribui para atenuar o impacte urbano do edifício.