Risco

/

Arquitectura e
Desenho Urbano

Espaço Público do eixo central da Alta de Lisboa

O Eixo Central é a via estruturante do plano, pelo que se pretende potenciar a sua condição de espaço público singular.
Pretendeu-se acentuar a dimensão de “via urbana”, de carácter multimodal, de circulação e estadia de pessoas e veículos, assim como a sua capacidade de organizar a edificação em redor, a partir da relação espaço público-edifícios-conjuntos edificados.
É reduzida a tradicional preponderância dos aspectos rodoviários em detrimento dos elementos de espaço público associados ao peão: maiores os passeios laterais (10 m); uma placa central única e extensamente orgânica e permeável (30 m); circulação rodoviária em duas vias laterais com três faixas de circulação cada; supressão do tradicional estacionamento na via pública (compensando com silos nas malhas anexas) e, a criação de atravessamentos pedonais ao Eixo, articulados com a malha de quarteirões adjacentes e exteriores às vias rodoviárias, para que os espaços interiores dos quarteirões sejam espaços públicos complementares das ruas circundantes e do próprio Eixo, proporcionando-se uma nova rede de espaços pedonais.

Local
Lisboa
Cliente
SGAL, Sociedade Gestora do Alto do Lumiar, S.A.
Data
2006 – 2013

Arquitectura e Desenho Urbano
Manuel Salgado, Tomás Salgado e Pedro Pinto
Área de Intervenção
19,4 ha
Custo
14.330.000 €

Fotografias
João Morgado

Construído